Mosaic Emprega Mais 2

FIEG: Sandro Mabel pede apoio para agilizar aprovação no Senado do projeto de lei que permite a compra da vacina contra a covid-19 pelo setor privado

Por Redação em 08/04/2021 às 19:21:29
FIEG reforça que a imunização pelo setor privado pode desafogar a quantidade de cidadão que espera pela tão sonhada dose

FIEG reforça que a imunização pelo setor privado pode desafogar a quantidade de cidadão que espera pela tão sonhada dose

Após aprovação pela Câmara de Deputados do projeto de lei que viabiliza a aquisição da vacina contra a covid-19 ao setor privado, o Presidente da FIEG, Sandro Mabel, solicita apoio do senador Vanderlan Cardoso (PSD) para acelerar aprovação do Senado. "Eu pedi ao Vanderlan que aceitasse a relatoria do projeto que veio da Câmara. Ele é articulado e tem um projeto neste mesmo sentido no Senado. Assim aprovaria logo", disse.

Visando a imunização em massa dos colaboradores da indústria, Mabel acredita que com a ajuda do parlamentar, o processo de aceitação pelo Senado pode ser mais ágil. Além disso, o presidente da FIEG reforça que a imunização pelo setor privado pode desafogar a quantidade de cidadão que espera pela tão sonhada dose que é disponibilizada apenas pelo Ministério da Saúde.


Sandro Mabel tem lutado pela vacinação do cidadão goiano contra a covid-19 diariamente. "O Brasil bateu um recorde terrível para a saúde pública, mais de quatro mil pessoas vieram a óbito pela covid-19 em 24 horas. A compra do imunizante pelo setor privado ajuda o Ministério da Saúde reduzindo o número de pessoas que necessitam da vacinação. Nós precisamos acelerar a aprovação desse projeto. Entrei em contato com o Senador Vanderlan Cardoso para nos ajudar nessa causa. Sei que ele é um Senador articulado e que pensa no cidadão goiano como todos nós da indústria pensamos." - ressaltou.

O presidente da FIEG acrescentou, ainda, que o investimento financeiro seria totalmente do setor privado, o que impediria parte da utilização do dinheiro público destinado ao enfrentamento à covid-19 no Brasil. "Enquanto a rede privada compra a vacina e garante a imunização de seus colaboradores, o Ministério da Saúde conta com mais verbas para investimentos urgentes. Além de ter menos pessoas para receber o imunizante." - pontua Mabel.

Fonte: Com informações da Assessoria de Comunicação da FIEG

Comunicar erro
Saneago
CMOC Queimadas
Sefac 10 anos Super

Comentários