Camara Municipal de Cumari Institucional
Sistema FAEG-Ao seu lado sempre que precisar
Dengue Caldas Novas Abril 2022

Em Brasília DF, AMUSUH reforça apoio a municípios em prol dos usos múltiplos dos lagos

Por Redação, Carlos Duarte em 12/05/2022 às 22:03:58

Reservatórios de diversas usinas, dentre eles vários nos estados de Goiás e Minas Gerais, têm sofrido com a falta d"água que afeta sobremaneira a geração de energia elétrica e outras fontes de renda ligadas aos lagos. Para apoiar esses municípios e buscar saídas que mitiguem os impactos, a Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas Hidroelétricas e Alagados (AMUSUH), participou na última quarta-feira (11/5) de audiência em Brasília com o diretor do Departamento de Monitoramento do Sistema Elétrico do Ministério de Minas e Energia (MME), Guilherme Godoi, assessores técnicos e parlamentares do Ministério.


No encontro foram debatidas as possíveis medidas para que o monitoramento do nível das águas do reservatório da usina de Emborcação seja mantido visando a prática dos usos múltiplos dos lagos, em especial nos municípios de Três Ranchos e Anhanguera que dependem muito do turismo.


Localizados sobre a bacia do rio Paranaíba e integrante da Bacia do Paraná, que possui a maior capacidade de produção de energia por hidrelétricas do país, os reservatórios de Itumbiara e de Emborcação em Goiás, por exemplo, têm registrado graves crises hídricas. Por isso, a geração das usinas tem sido muito aquém da média histórica.


Para o prefeito de Três Ranchos (GO) e membro do Conselho dos Municípios Alagados da AMUSUH, Dr. Hugo Deleon de Carvalho Costa, a reunião no Ministério foi muito proveitosa. "Tivemos uma reunião no MME juntamente com a AMUSUH, com o vice-prefeito Haroldo Calaça Coelho e com o secretário de Turismo Agnaldo Miguel no departamento de Monitoramento do Sistema Elétrico. Fomos muito bem recebidos. Falamos sobre o futuro do sistema elétrico, especialmente com relação ao nível do nosso reservatório da usina de Emborcação. O Plano de Recuperação dos Níveis dos nossos Reservatórios está caminhando. Saímos muito satisfeitos e agradecemos também à AMUSUH que luta por nós em várias frentes com relação à Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos (CFURH) e outros temas. Estamos muito satisfeitos com essa luta", declarou o prefeito Hugo Deleon Costa.

Em maio do ano passado, o Conselho Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemadem), vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, informou uma quantidade de chuva sobre a Bacia do Rio Paraná abaixo da média registrada nos últimos 22 anos. A porção mais vulnerável é a parte alta da bacia onde ficam o Rio Paranaíba e os reservatórios de Itumbiara e de Emborcação. Desde 2014, o nível tem se mantido entre seca severa, extrema e excepcional.


De acordo com o prefeito de Anhanguera (GO), Marcelo Martins de Paiva, a reunião com o diretor do Departamento de Monitoramento do Sistema Elétrico do ministério de Minas e Energia (MME) foi muito técnica e proveitosa. "Agradeço a todo apoio da AMUSUH e do Ministério nessa força-tarefa na busca por soluções para amenizar o período de crise hídrica que tanto afeta nossos municípios que dependem do turismo. O encontro entre os municípios e o Ministério foi muito produtivo e demonstra grande embasamento de todos os envolvidos. Somos muito privilegiados pela preocupação e controle sobre o monitoramento dos lagos. Ficamos muito satisfeitos com essa organização tanto do MME quanto da AMUSUH em defender os nossos municípios", afirmou o gestor anhanguerino Marcelo Paiva.

Segundo a secretária-executiva da AMUSUH, Terezinha Sperandio, o apoio aos municípios envolve ações práticas para resolver problemas presentes, assim como a elaboração de novos caminhos legais que consolidem os direitos municipalistas. "A Associação representa 739 municípios e também trabalhamos com demandas pontuais na representação com excelência desses 43 milhões de brasileiros que vivem nesses locais. A crise hídrica é resultado de vários fatores e a maioria pode ser revertida com políticas públicas eficazes como a recuperação dos reservatórios. Essa reunião no ministério de Minas e Energia representa uma nova etapa de mobilização no sentido de tornar nossas reservas hídricas mais saudáveis e seguras, tanto para a geração elétrica quanto para todo o setor envolvido, passando por empresários até aquele pescador que vive dos peixes do reservatório. A AMUSUH não poupa esforços nessas missões de grande amplitude municipalista e isso passa pelo Meio Ambiente, leis claras e justas e pelos usos múltiplos dos lagos das usinas", salientou Terezinha Sperandio.

Comunicar erro
Dengue Governo de Goias 2022
Dengue Caldas Novas Abril 2022 728 x90

Comentários

Convite Camara de Goiania Abril 2022