CMOC BRASIL

Pé diabético pode ser diagnosticado previamente por meio do autoexame

Aproximadamente 85% dos desfechos desfavoráveis poderiam ser evitados com o diagnóstico precoce

Por Redação em 09/11/2020 às 17:51:51
(Reprodução)

(Reprodução)

Novembro é o m√™s de conscientiza√ß√£o do Diabetes. De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), uma média de 25% dos pacientes diabéticos ter√°, ao menos uma vez na vida, feridas nos membros inferiores, decorrentes de complica√ß√Ķes, aos quais 50% acabam infeccionando. Essa doen√ßa é muito silenciosa e j√° atinge cerca de 16 milh√Ķes de brasileiros.

A dificuldade de cicatriza√ß√£o de feridas causada pelo problema, pode levar a um quadro chamado pé diabético. A angiologista, cirurgi√£ vascular e presidente da SBACV do Maranh√£o, Dra. Roberta Campos, explica que uma das principais manifesta√ß√Ķes da doen√ßa é cut√Ęnea. "Na pele, ocorre a perda da inerva√ß√£o das gl√Ęndulas sudoríparas e, consequentemente, da oleosidade natural, levando ao ressecamento e rachaduras que s√£o potenciais focos de infec√ß√£o", esclarece. Formigamento e a deforma√ß√£o dos ossos dos pés, que dificultam a mobilidade, s√£o outros sinais importantes do desenvolvimento do pé diabético.

De acordo com a especialista, é possível realizar o autoexame para evitar o quadro. "Colocando um espelho no ch√£o para observar a face plantar do pé. Lembrando que os pacientes diabéticos podem ter retinopatia associada, que prejudica a vis√£o. É mais seguro que um acompanhante fa√ßa a inspe√ß√£o di√°ria do pé do paciente diabético", ilustra.

A doutora Roberta afirma que existem tr√™s pilares fundamentais para a preven√ß√£o e tratamento do pé diabético.

  1. Avalia√ß√£o frequente dos pés: o autoexame di√°rio é importante para detectar micoses, escoria√ß√Ķes e úlceras.
  2. Higiene: lavar diariamente os pés, com sab√£o n√£o abrasivo, secar muito bem e hidratar. Manter as unhas aparadas, sempre em corte reto;
  3. Cuidados especiais: é muito importante secar entre os dedos para evitar a prolifera√ß√£o de fungos e bactérias, e n√£o utilizar cremes hidratantes nessa regi√£o. Evitar, também, qualquer tipo de situa√ß√£o que possa, de alguma forma, machucar os pés, como andar descal√ßo.

O acompanhamento médico, inclusive da especialidade vascular, é extremamente importante, mas, muitas vezes, é negligenciado. "Quanto mais precoce e adequado for o tratamento da úlcera, maiores ser√£o as possibilidades de sucesso e menores os riscos de amputa√ß√£o. Aproximadamente 85% de todos os desfechos desfavor√°veis poderiam ser reduzidos com pr√°ticas de educa√ß√£o e interven√ß√£o precoce no início das complica√ß√Ķes", alerta a Dra. Campos.

Médicos associados da SBACV t√™m acesso diferenciado a cursos de aperfei√ßoamento profissional, informa√ß√£o técnica, atualiza√ß√£o científica e educa√ß√£o continuada. Para mais informa√ß√Ķes sobre outras doen√ßas vasculares e para encontrar um médico associado da entidade, acesse www.sbacvsp.com.br.

CMOC BRASIL
Saneago
CMOC Queimadas
Sefac 10 anos Super

Coment√°rios

camara de ouvidor gif 3