Refiz Economia 2021
Mosaic Social

Indústrias goianas enfrentam dificuldades para conseguir insumos, diz Fieg

Sondagem Especial: Clientes e Insumos mostra que, apesar de melhora na comparação com novembro do ano passado, falta de matéria-prima e custo acima do usual afetam atendimento à demanda por produtos

Por Redação em 26/03/2021 às 19:16:50

A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) divulgou, nesta sexta-feira (26/03), bloco da Sondagem Especial: Clientes e Insumos, com análise sobre o impacto da pandemia no fornecimento de insumos e atendimento à demanda pelas indústrias goianas. A pesquisa, conduzida pela Coordenação Técnica (Cotec) da federação, revelou que o setor industrial em Goiás sente, de forma generalizada, dificuldades em adquirir matérias-primas.

De acordo com a sondagem, 48% dos sindicatos das indústrias da base da Fieg relataram que empresas do setor enfrentam grande dificuldade na aquisição de insumos. Nenhum sindicato escutado na pesquisa acredita na normalização dessa oferta ainda no 1º semestre de 2021.

A análise mostra o impacto no atendimento à demanda do mercado. Para 88% dos respondentes, a dificuldade na aquisição de insumos tem gerado atrasos nas entregas. Além disso, a sondagem mostra que, para 80% dos setores industriais, o custo das matérias-primas está muito acima do usual.

Para o presidente da Fieg, Sandro Mabel, as dificuldades têm sido enormes e aprofundadas pelo abre e fecha das atividades produtivas, de acordo com decretos estaduais e municipais. "A falta de uma política nacional gerou cenários diferentes, com cidades funcionando e outras paralisadas, devido a pandemia".

Sandro Mabel cita o setor de plásticos e embalagens como um dos mais afetados. "O preço internacional da resina plástica está subindo de forma desesperadora, com incremento que chega a 20% ao mês. É insustentável", observa.

O presidente da Fieg alerta também para o efeito cascata na aquisição de aço e de outros insumos para a construção civil. Outro setor igualmente impactado é o farmacêutico, sobretudo pela valorização cambial, devido ao fato de muitas matérias-primas dependerem de importação.

De acordo com a pesquisa, a maioria das empresas busca alternativas para esse aumento nos custos de insumos para não terem que repassar o aumento ao preço final dos produtos.

O levantamento mostra ainda que a retomada consistente da economia depende diretamente da ampliação e melhoria da agilidade da vacinação da população

Fonte: Com informações da FIEG

Comunicar erro
Saneago
CMOC Queimadas
Sefac 10 anos Super

Comentários