CMOC BRASIL

"A história dirá o que foi essa eleição", afirmou Vanderlan em coletiva

O candidato do PSD afirmou que campanha foi atípica, com pandemia, abstenção e fake news, mas disse que respeita a vontade popular

Por Redação em 30/11/2020 às 18:54:24
(Reprodução)

(Reprodução)

Vanderlan Cardoso (PSD) afirmou na noite deste domingo, 29/11, em uma entrevista coletiva à imprensa, no Comitê Central da campanha da Coligação Goiânia em um Novo Momento, após o resultado do segundo turno, que respeita a vontade o eleitor de Goiânia.

"A história dirá o que foi essa eleição", disse Vanderlan ao ser questionado sobre a participação do filho de Maguito, Daniel Vilela, do vice Rogério Cruz, e da abstenção e votos brancos e nulos, que ultrapassaram 400 mil votos, em uma cidade que conta com quase um milhão de eleitores.

"Fizemos um campanha atípica, sem ter com quem debater as propostas pra Goiânia, e o eleitor ficou confuso. Tivemos mais de 400 mil goianienses que não foram votar ou decidiram anular o voto, porque não tinham intenção de participar do processo", afirmou Vanderlan.

"Eu estou muito feliz com os números, pois foi uma diferença de 27 mil votos, em um cenário de quase um milhão de eleitores. Tenho muito a agradecer a todos e desejar muita sorte. Nós tivemos uma guerra de pesquisas, que davam quase 20% de diferença e não foi isso que vimos nas urnas", pontuou o candidato.

Vanderlan reafirmou a posição de continuar lutando para que Goiânia seja uma cidade mais desenvolvida e humana para se viver. "Eu estou orando muito para que o Maguito se reestabeleça e venha governar nossa cidade. Como senador, eu coloco meu mandado à disposição para ajudar Goiânia a ser uma cidade melhor, assim como fiz com o prefeito Iris Rezende."

Comunicar erro
CMOC BRASIL
Saneago
CMOC Queimadas
Sefac 10 anos Super

Comentários

camara de ouvidor gif 3